A Livraria 24 horas do Mr. Penumbra – Resenha

Image

Este foi o tipo de livro em que tudo: capa, assunto, personagens e ambientação já despertou meu interesse. Sendo assim, me deixou com bastante expectativa. E – definitivamente – não me decepcionou.

No livro, conhecemos Clay Jannon, um jovem web designer, que desempregado e sem grandes esperanças em encontrar emprego na sua área de atuação, acaba indo trabalhar em uma misteriosa livraria que fica aberta 24 horas. Clay é um protagonista comum, sem nada muito marcante, mas que desperta uma certa simpatia que agrada a todos.

A livraria é basicamente dividida em duas partes: uma normal, onde encontram-se livros comuns e para venda. Enquanto na outra parte, encontram-se livros velhos, misteriosos, com nomes em latim nas suas lombadas e que estavam disponíveis, apenas, para locação. Clay chama esta parte da livraria de “Arquivo Pré-histórico” e é extremamente proibido de abrir qualquer um destes livros.

O dono da livraria, Mr. Penumbra, é tão misterioso quanto a própria livraria. Logo nos primeiros dias na livraria, Clay observa que tudo na livraria, e todos que a frequentam, é estranho e suspeito. Clay percebe que apenas um pequeno grupo de clientes visita a livraria e de forma esporádica. Esses clientes são sempre idosos e que pegam livros emprestados do “Arquivo Pré-histórico”, Clay desconfia que se trate de uma sociedade secreta. Devido a sua curiosidade, Clay, acaba descobrindo que todos os livros dessa seção são codificados. Lembrem-se que ele é extremamente proibido de abrir tais livros e folheá-los.

Com a ajuda da sua namorada Kat, que trabalha no Google, e de seu amigo de infância Neel, Clay irá usar a tecnologia para tentar desvendar os mistérios que se escondem nas páginas desses livros antigos. A partir daí, embarcamos em uma aventura que envolve alta tecnologia e a origem dos livros impressos. Não se trata de uma obra em que se defenda o fim do livro impresso, como alguns já disseram, e tão pouco contra os livros digitais ou a tecnologia. Mas sim sobre como ambos podem conviver.

Uma leitura rápida e extremamente agradável, personagens reias e que poderiam ser qualquer um de nós, e foi nisso que o autor acertou. Personagens tão comuns que nos identificamos com eles e pelos quais passamos a ter grande simpatia.

A Livraria 24 Horas do Mr. Penumbra é um daqueles livros que não tem grandes pretensões ou profundidade, mas que causa uma boa discussão e que irá proporcionar momentos de grande prazer. Embarque nessa aventura com Clay e descubra o final desta aventura emocionante.

★★★★★ Um livro cinco estrelas.

Altura: 23 cm.
Largura: 16 cm.
Profundidade: 3,5 cm.
Acabamento : Brochura
Edição : 1 / 2013
Idioma : Português
Número de Paginas : 288
Tradutor : Edmundo Barreiros

Image

Feliz Ano Novo + Sorteio

Bom pessoal, queria começar este post desejando um Feliz Ano Novo a todos, que 2014 supere 2013 e que sejamos pessoas melhores.

E que ganhemos muitos livros, certo?!

Nada melhor que começar 2014 ganhando um livro! Pois então, estou lançando um sorteio na rede e quero todo mundo participando!

chamado do cuco

Estarei sorteando o livro “O Chamado do Cuco“, versão HardCover (Capa Dura). O sorteio só será realizado quando tais metas forem realizadas:

1) 300 seguidores no Instagram;
2) 300 likes na página do Facebook;
3) Sorteio.

Para participar do sorteio, você precisa seguir nosso Instagram, postar a imagem do sorteio na sua conta e curtir nossa página do Facebook.

Como dito anteriormente, o sorteio só será realizado, assim que as metas forem alcançadas!

Feliz Ano Novo a todos e que a sorte esteja sempre a seu favor.

Divergente (Verônica Roth) – Resenha

Aquela Distopia que você não consegue mais largar.

Image

Divergente é uma distopia. Porém, sou suspeito a escrever, pois, ultimamente, leio muitas distopias e é um gênero que me agrada bastante. A narrativa se passa em uma Chicago Futurista, onde a sociedade se divide em cinco facções: Abnegação (Valoriza o altruísmo acima de tudo); Amizade (Simboliza a felicidade e possui repudio ao conflito humano); Audácia (Os corajosos); Franqueza (Falam sempre a verdade); Erudição (Valoriza à inteligência). Eu geralmente fico com receio de histórias com narração em 1ª pessoa, pois tenho medo de odiar a protagonista, mas isso – definitivamente – não ocorreu em Divergente.

Os personagens foram, extremamente, bem elaborados. Todos são interessantes e bem detalhados, o que admiro bastante na autora.

A personagem principal, se chama Beatrice Prior, onde no decorrer da história, passa a ser chamada de Tris. Estava acostumado às personagens, do gênero feminino, possuindo características imaturas ou irracionais, mas Tris não fazia jus ao clichê. Possuia uma personalidade bem forte e marcante, e, ao mesmo tempo, uma determinação sem igual.

Quatro (Four) é um personagem que despertou curiosidade, não só em mim, mas em muita gente, pois de início ele era bastante fechado e cheio de segredos/mistérios, mas com o decorrer da história, ele revela, aos poucos, o seu outro lado. Quatro – definitivamente – é o preferido de muita gente.

Outros personagens que também possuem papéis importantes são Christina, Will, Al, Eric e Jeanine.

Divergente, além de apresentar uma leitura fácil, pois a autora conseguiu uma linguagem bem mais acessível do que outros autores, é totalmente viciante. Ler o livro em dois dias no máximo não me surpreenderia. Possui muita ação, romance, tragédias, etc. Recomendo o livro e acredito que todos irão gostar! Embarque nessa trilogia com Verônica Roth e desfrute de uma distopia viciante.

Idioma: português
Encadernação: Brochura
Altura: 20,7 cm
Largura: 13,4 cm
Peso: 0,500 kg
Edição: 1ª
Ano de Lançamento: 2012
Número de páginas: 504

Primeiro Post!

E aí, pessoal! Aqui é o Fernando da “Estante do Fernando” e eu queria dizer obrigado a todos por estarem seguindo no Instagram, Twitter e divulgando o blog. 

Instagram: @estantedofernando
Twitter: @estantedofer

Image

Se você gosta de livros, você está no lugar certo. Aqui você encontrará resenhas, resumos, críticas, etc, sobre os livros que eu leio no meu dia-a-dia. Espero que gostem!

Abraços, F.